Desenvolvimento Positivo

O desenvolvimento dos jovens está assente nas três vertentes física, mental e social, para promover um desenvolvimento positivo é necessário a vivências de experiências positivas, ambientes positivos e estabelecimento de relações positivas e enriquecedoras.

Segundo Gomes, R. (2010) as competências de vida são potencialidades pessoais internas e características que visam desenvolver uma área e que podem ser transferidas para outro domínio. As competências adquiridas pelo desporto formação assume um transfer para a vida social e escolar dos indivíduos.

As competências dividem-se em 4 tipos:

-Comportamentais

-Cognitivas

-Interpessoais

-Intrapessoais

Um programa de intervenção como a Promoção de Experiências Positivas em Crianças e Jovens (PEP-CJ) ou programa americano denominado 5 C’s podem reduzir os comportamentos de risco, promover a saúde e também permitir uma melhor relação com a sociedade e o próprio, estabelecendo assim objetivos alcançar.

Para Sena, P (2016) “a qualidade das nossas vidas depende da nossa comunicação connosco próprio mas também com os outros”

Importância do Trabalho de Equipa

O trabalho de equipa define-se na capacidade de cooperar com alguém em busca de um objetivo comum. Numa equipa de Futebol é importante explicar ao grupo as vantagens da coesão, entre-ajuda, formulando um objetivo coletivo, onde os vários elementos da equipa tem várias funções, a frase celebre “para uns tocar piano é preciso quem o carregue”, faz sentido neste aspeto. Os elementos mais dotados tecnicamente, na maioria das vezes, não participam nas ações defensivas mas apenas nas ofensivas, tendo assim cada um a sua função para o objetivo do grupo, que neste caso é a vitória. A frase celebre “os avançados jogam jogos e os defesas campeonatos” prova a importância de todos no sentido coletivo.

Um exemplo de trabalho de equipa é o Cristiano Ronaldo que apesar de não participar na organização defensiva e na transição ataque-defesa é uma peça vital na transição defesa-ataque (sobretudo com saídas rápidas), no momento ofensivo e também nas bolas paradas (ofensivas e defensivas), tendo uma função diferente de outros colegas de equipa mas na mesma muito importante, na minha opinião com um jogador desta qualidade também utilizava uma tática em que ele só ataque.

Todos temos a nossa função num grupo, esta deve estar centrada com o objetivo colectivo

Hélder Castro

Comunicação entre Treinadores, Atletas e Pais

Segundo Hellstedt (1995), a família é a maior fonte de influência na vida dos atletas, pois é assim que os jovens aprendem e desenvolvem as competências de vida. Os pais exercem um papel de figura modelo sobre os seus filhos, ou seja, se um Pai assume comportamentos pouco desportivos, como insultar adversários, treinadores, árbitros, etc. os filhos no seu processo de modelagem imitam estes comportamentos.

O triângulo Treinadores, Atletas e Pais assume muita importância no processo de formação, a capacidade dos treinadores comunicarem com os Pais/Encarregados de Educação influencia a sua comunicação com os seus atletas. As entidades desportivas tem a necessidade de abrir os canais de comunicação aos pais, escutando as suas preocupações, opiniões, etc. e promovendo, por parte destes, a compreensão do desporto formação, os seus objetivos, as suas vantagens no desenvolvimento positivo do indivíduo na vertente física, mental e social e os comportamentos a ter em certos casos, como situações de stress causadas pela competição.

Para Gomes, R. não adianta promover programas desportivos baseados na formação de valores, diversão e desenvolvimento positivo, quando as estruturas desportivas ou paternas promovem a competividade entre atletas em função dos resultados da competição.

Um bom comunicador é primeiro um bom ouvinte!!!

Hélder Castro

A Motivação no Desporto Formação

A motivação é descrita como uma forma capaz de induzir os indivíduos a atingir os seus objetivos. A definição dos objetivos é importante como forma de definir as metas futuras a alcançar, promovendo a definição de um objetivo que possa ser mensurável, que tenha um prazo para a sua realização e que apesar de difícil, seja realista e exequível, procurando estabelecer soluções e um plano de ação quando confrontados com adversidades ou obstáculos.

Segundo Becker Jr, (2002) o trabalho motivacional acontece quando existe a boa vontade do atleta e uma boa estruturação das sessões de treino.

No desporto formação, os atletas encontram maior necessidade de serem motivados, pois como tem uma qualidade técnica e tática básica, devido ao número de estímulos recebidos comparativamente a atletas mais velhos (mais experientes), sentem maior dificuldade na execução das tarefas e na gestão do stress. O treinador assume, por isso, um papel importante no processo de estabelecimento dos objetivos mas também da gestão do stress, onde nas sessões de treino estas tenham a presença de vários estímulos técnicos e táticos, um exemplo concreto é os jogos de situação 3 vs 3 em sistema de divisões, comparativamente ao jogo formal (7 vs 7 ou 11 vs 11) onde os indivíduos são presentes a maior número de ações técnicas como maior número de toques na bola, mais situações de finalização, ações tácitas como a noção do triângulo defensivo, dos apoios defensivos, da cobertura, etc.

Segundo Monteiro e Scalon (2008), a motivação é um ponto determinante para o sucesso ou fracasso, pois os indivíduos com motivação elevada treinam com maior afinco, obtém melhoria nos gestos motores ou processo cognitivos, ganhando maior confiança e sensação de segurança. A concretização positiva mesmo que em pequenos aspetos leva o individuo a motivar-se e a treinar mais, criando um ciclo motivacional. A motivação por parte dos Treinadores/Professores leva a maior cultura desportiva e também maior gosto pela prática desportiva.

Um atleta motivado é um individuo mais capaz de realizar ações técnicas e táticas com melhor desempenho, gerindo melhor as situações adversas.

Hélder Castro

Referências Bibliográficas

-Monteiro, Z. & Scalon, M. (2008). Treinamento psicológico e técnicas para a melhoria da motivação de atletas. Brasil: Universidade Santa Catarina. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd118/treinamento-psicologico-e-tecnicas-para-a-melhora-da-motivacao-de-atletas.htm